quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

* Jesus, o Governador Espiritual do nosso planeta

Amigos,
A doutrina espírita nos ensina que Jesus é o Governador Espiritual do planeta Terra.


“Rezam as tradições do mundo espiritual que na direção de todos os fenômenos, do nosso sistema, existe uma Comunidade de Espíritos Puros e Eleitos pelo Senhor Supremo do Universo, em cujas mãos se conservam as rédeas diretoras da vida de todas as coletividades planetárias. Essa Comunidade de seres angélicos e perfeitos, da qual é Jesus um dos membros divinos, ao que nos foi dado saber, apenas já se reuniu, nas proximidades da Terra, para a solução de problemas decisivos da organização e da direção do nosso planeta, por duas vezes no curso dos milênios conhecidos. A primeira, verificou-se quando o orbe terrestre se desprendia da nebulosa solar, a fim de que se lançassem, no Tempo e no Espaço, as balizas do nosso sistema cosmogônico e os pródromos da vida na matéria em ignição, do planeta, e a segunda, quando se decidia a vinda do Senhor à face da Terra, trazendo à família humana a lição imortal do seu Evangelho de amor e redenção.” (Livro “A Caminho da Luz”. Pelo espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB. Capítulo 1– A Gênese Planetária: A Comunidade dos Espíritos Puros. P. 18. 11 ª ed. 1982.)


“Sim, Ele havia vencido todos os pavores das energias desencadeadas; com as suas legiões de trabalhadores divinos, lançou o escopro da sua misericórdia sobre o bloco de matéria informe, que a Sabedoria do Pai deslocara do Sol para as suas mãos augustas e compassivas. Operou a escultura geológica do orbe terreno, talhando a escola abençoada e grandiosa, na qual o seu coração haveria de expandir-se em amor, claridade e justiça. Com os seus exércitos de trabalhadores devotados, estatuiu os regulamentos dos fenômenos físicos da Terra, organizando-lhes o equilíbrio futuro na base dos corpos simples de matéria, cuja unidade substancial os espectroscópios terrenos puderam identificar por toda a parte no universo galáxico. Organizou o cenário da vida, criando, sob as vistas de Deus, o indispensável à existência dos seres do porvir. Fez a pressão atmosférica adequada ao homem, antecipando-se ao seu nascimento no mundo, no curso dos milênios; estabeleceu os grandes centros de força da ionosfera e da estratosfera, onde se harmonizam os fenômenos elétricos da existência planetária, e edificou as usinas de ozone a 40 e 60 quilômetros de altitude, para que filtrassem convenientemente os raios solares, manipulando-lhes a composição precisa à manutenção da vida organizada no orbe. Definiu todas as linhas de progresso da humanidade futura, engendrando a harmonia de todas as forças físicas que presidem ao ciclo das atividades planetárias. (Livro “A Caminho da Luz”. Pelo espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB. Capítulo 1– A Gênese Planetária: O Divino Escultor. P. 21. 11 ª ed. 1982.) 


“Jesus transcende, desse modo, os estágios do processo evolutivo na Terra, porquanto Ele já era o Construtor do planeta, quando sequer a vida nele se apresentara”. (Série Psicológica de Joana de Angelis. Livro Desperte e seja feliz. 10 ª ed. Editora LEAL, 1996. Psicografia de Divaldo Pereira Franco. Capítulo 1 – O homem Jesus. P. 17.)



Diálogo entre os espíritos André Luiz e Hilário com o instrutor Aulus: "Semelhante atitude, porém – acentuou o orientador -, decorre de antiga viciação mental no Planeta. Para maior clareza do assunto, rememoremos a exemplificação do Divino Mestre. Jesus, o Governador Espiritual do Mundo, auxiliou a doentes e aflitos, sem retirá-los das questões fundamentais que lhes diziam respeito". (Coleção ‘A vida no mundo espiritual’. Pelo espírito André Luiz. Livro “Nos Domínios da Mediunidade”. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB. Capítulo 18 – Apontamentos à margem. P. 173. 16 ª ed. 1987.)


“A religião passa, desse modo, a atuar, em sentido direto, no acrisolamento do corpo espiritual para a Vida Maior, através da educação dos hábitos humanos a se depurarem no cadinho dos séculos, preparando a chegada do Cristo, o Governador Espiritual da Terra.” (Coleção ‘A vida no mundo espiritual’. Pelo espírito André Luiz. Livro “Evolução em Dois Mundos”. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB. Capítulo 20 – Corpo Espiritual e religiões. P. 160. 10 ª ed. 1987.)



Abração a todos.
Marcelo Badaró Duarte.

9 comentários:

  1. Seu blogger está uma maravilha!
    de: www.piosdafer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Falar, ouvir, ler sobre Jesus. Não há nada melhor! Não há nada mais reconfortante do que saber que a todo momento estamos sendo observados e protegidos pelo amor do nosso Mestre! Basta abrirmos nossos corações a Ele.

    ResponderExcluir
  3. Amigo,
    conheci este site através de pesquisas.
    Excelente !

    Agradeço por todo conteúdo publicado pois os mesmos retratam as nossas necessidades os nossos anseios.

    Jesus nos ampare em nossas imperfeições.

    Que a espiritualidade nos resgate de nossas fraquezas.

    Que a oportunidade de trabalhar e evoluir seja constante.

    Obrigado.

    Anderson

    ResponderExcluir
  4. Queridos Amigos,
    Muito legal o conteudo do site. Eu gostei de ver esse resumo sobre Jesus sendo relembrando como o governador espiritual do planeta e consequentemente como referencia de padrao moral para todos nos.

    ResponderExcluir
  5. Dr Marcelo Badaró.

    Gostei muito do trabalho "Jesus, o Governador Espiritual do nosso planeta".
    É confortador saber que nosso planeta está entregue ao espírito mais puro, mais perfeito que apareceu sobre a terra e, diante dele todos os joelhos se dobrarão. Não há no planeta ninguém acima dele. Só Deus, o Pai.
    Quando Kardec (L.E. questão 625) pergunta Qual é o tipo mais perfeito, que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e modelo? a resposta foi: vede Jesus. E kardec, então, esclarece: para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na Terra, o Espírito Divino o animava.

    E assim, surge uma dificuldade para nossos irmãos evangélicos, que acreditam piamente que Jeová é o Nosso Deus, o Criador Supremo do Universo, quando sabemos que não é, não passa de um Guia espiritual de um povo que se auto-proclamava Povo de Deus, o povo de Israel.

    Ora. se Jeová não é Deus (e não é mesmo) ele, Jeová, é inferior a Jesus e a ele também dobrarar o joelho! Eles estão adorando um falso deus- o que era normal no tempo de Moisés. Hoje, passados 3300 anos. é inadmissível.

    Aliás será oportuno lembrar o pensamento de Kardec a respeito do deus adorado no Antigo Testamento - Livro A Gênese. cap. 1, item 23 " A parte mais importante da revelação do Cristo, no sentido de fonte primária, de pedra angular de toda sua doutrina é o ponto de vista inteiramente novo sob que considera ele a Divindade; esta já não é o Deus terrível ciumento, vingativo de Moisés; o Deus cruel e implacável, que rega a terra com o sangue humano, que ordena o massacre e o extermínio dos povos, sem excetuar as mulheres, as crianças e os velhos, e que castiga aqueles que poupam as vítimas; já não é o Deus injusto, que pune um povo inteiro pela falta de seu chefe,que se vinga do culpado na pessoa do inocente, que fere os filhos pelas falta dos pais; mas, um Deus clemente, soberanamente justo e bom, cheio de mansidão e misericórdia, que perdoa ao pecador arrependido e dá a cada um segundo as suas obras; já não é o Deus de um único povo privilegiado, o Deus dos exércitos presidindo aos combates para sustentar as suas próprias causas, contra o Deus dos outros povos; mas o Pai comum do gênero humano que estende a sua proteção por sobre todos os seus filhos e os chama a todos a si; já não é o Deus que pune e recompensa só pelos bens da Terra que faz consistir a glória e a felicidade na escravidão dos povos rivais" ... e prossegue o item 23 confirmando tudo quanto temos visto no Antigo Testamento, que entendemos, era adequado àqueles tempos e àqueles povos. Hoje não se justifica mais.

    É pena que nossos irmãos evangélicos não possam tomar conhecimento dessas revelações que os espíritos nos trouxeram. Blindaram de tal forma a Bíblia, com o ensino que a Bíblia é a palavra de Deus, inspirada por Deus e escrita pelo próprio Deus, que eles são impedidos de contestarem, ou mesmo duvidarem de algum texto bíblico. A inerrância da Bíblia é tão sagrada como a própria Bíblia., Não podem duvidar de nada que está escrito ali, como dizia o Professor Herculano Pires, no livro Visão Espírita da Bíblia.

    Era o que tinha a comentar de momento
    Cavalcante, pesquisador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Cavalcante,
      Suas palavras expressam sabedoria e demonstram a qualidade excepcional de suas pesquisas.
      Você tem razão, pois na medida em que todos nos aprofundamos nos estudos, as leis naturais, ou Leis Divinas, cuidarão para que tenhamos as respostas adequadas e com grande aptidão para serem proveitosamente metabolizadas pelo nosso psiquismo. A cada um segundo suas obras!! Já nos ensinava o Cristo!!! Vale dizer, em outras palavras: A cada qual de nós serão oferecidas, pela Lei Divina, as respostas que já tenhamos capacidade de assimilar e aproveitar na nossa jornada evolutiva!!
      Grande abraço, meu amigo!
      Marcelo.

      Excluir
  6. Amigo Marcelo

    Ontem, durante minhas pesquisas do Antigo Testamento, acabei entrando em um blog (desafiocristao.blogspot.com.br) de nossos irmãos evangélicos e, para surpresa minha, no post “O sábado foi instituído por causa do descanso de Deus...” onde várias pessoas se manifestaram discutindo se o certo era guardar o sábado já santificado desde o tempo de Moisés ou o domingo, dia da ressurreição de Jesus, todas demonstrando um apego ferrenho à letra do texto bíblico, sem atentarem para o alto significado do dia de descanso semanal instituído naquela oportunidade. Resolvi, então, entrar discutindo também a questão, com o post abaixo.


    Descanso semanal: A CLT de Moisés

    Jesus, o Governador Espiritual do nosso planeta, estava preocupado com a exploração dos patrões sobre os escravos e resolve baixar um preceito divino para amenizar a situação da classe trabalhadora. Pede então ao anjo da implantação do monoteísmo na Terra, Jeová, que cuide da situação.
    Jeová então aproveitando- se da narrativa da criação do mundo em 6 dias e descanso por Deus no 7º dia, resolveu santificar o sábado, proibindo toda e qualquer atividade naquele dia, sob pena de morte. Estava criada a CLT de Moisés que, com o passar do tempo, foi incorporada à Carta Magna de todas as nações democráticas do mundo.
    Assim, a classe operária ganhou um descanso semanal, graças a esse abençoado preceito bíblico.

    É claro que essa historieta serve apenas para enfatizar o quanto é importante nos apegarmos “ ao espírito que vivifica” ao invés da “letra que mata”. E por falar nisso, o objetivo não foi a santificação pura e simples de um dia na semana ( sábado, domingo ou outro dia qualquer) e sim, o descanso semanal após 6 dias ininterruptos de trabalho.

    Deus sabe o que faz. Naquela época, há mais de 3000 anos era possível a aplicação literal da proibição do trabalho no dia santificado, principalmente entre um povo sob governo teocrático, com poderes absolutos sobre todos os cidadãos. Hoje, isso não é mais possível, nem faz sentido ficarmos discutindo se o dia certo é o sábado ou o domingo. Importa sim, que haja uma escala de trabalho que inclua as folgas semanais de cada trabalhador.

    Era o que tinha a comentar.

    Gostaria de ouvir a sua opinião, a respeito, amigo Marcelo.

    ResponderExcluir
  7. parabéns Marcelo, pelo texto. É muito bonito.
    indico aos demais amigos que queiram saber mais sobre o caminho evolutivo da humanidade, a lerem os "livros A caminho da luz" e "Os exilados de Capela".

    ResponderExcluir
  8. Olá tudo bem, conheço bem a doutrina espirita mas ultimamente tenho olhado pra outras doutrinas como a Eubiose, e me apareceu um fato curioso que eles falam que Jesus tinha um irmão gêmeo, gostaria de saber se algum espirita já ouviu falar nisso. e tbém tem a grande fraternidade branca. Qual a posição da doutrina espirita a esse respeito, até agora ninguém me respondeu.

    ResponderExcluir